Séries/Filmes

Precisamos falar de “The Bold Type”

03/01/2018

Olá, bom dia leitores!

O primeiro post do ano não envolve uma resenha ou novidade literária, mas sim as impressões que tive acerca de uma série, isso mesmo, a leitora preguiçosa que não assisti a muitas séries foi cativada por The Bold Type de tal maneira que assistiu aos 10 capítulos em apenas duas noites, haha!

Descobri a mesma através do blog da Bruna Vieira, sério, ela sempre arrasa com as recomendações! Obrigada, Bru!
Não gosto muito de traçar metas, contudo, para este ano quero assistir mais séries e filmes. Prometo compartilhar com vocês sempre minhas impressões, sejam elas positivas ou negativas, hihi!

Sinopse:
Três amigas se unem para conquistar o sucesso em Nova York, batalhando para fazer seus sonhos resistirem ás realidades da vida, e, quando têm um tempo livre, procurando o amor verdadeiro. Jane (Katie Stevens) foi recentemente promovida a redatora da Scarlet Magazine, um periódico renomado focado em estilo de vida. Mesmo sendo tão apaixonada pelo que faz e determinada a ter sucesso, Jane por vezes hesita perante os desafios da vida na cidade grande. Por sorte ela conta com a ajuda da amiga Kat (Aisha Dee), a diretora de mídia social da empresa, que é destemida e ousada. Sutton (Meghann Fahy) é a última das três a ocupar o cargo de assistente, mesmo sempre trabalhando até a exaustão. Pelo menos o trabalho lhe distrai do segredo que precisa esconder das amigas. As três trabalham sob a guarda da editora chefe Jacqueline (Melora Hardin), que comanda a revista equilibrando dureza e cuidado com suas subordinadas. Elas dividem a redação com Alex (Matt Ward), que só aceitou o emprego depois de perder a vaga dos sonhos em outra publicação, e Richard (Sam Page), um membro do conselho diretor e advogado da revista – e conquistador.

Trailer:

As melhores amigas Jane, Kat e Sutton trabalham na revista Scarlet, uma revista feminina que aborda sobre os mais diversos temas, dentre eles, moda, relacionamentos, beleza e um pouquinho de política. A revista é comandada pela editora chefe Jacqueline, uma chefe, ou melhor, uma líder que mantém a ordem sem recorrer ao grau de superioridade, que a todo momento possui uma palavra de encorajamento e que sabe como administrar um negócio e as tarefas de seus funcionários de tal modo a deixá-los sempre motivados.

Jane acaba de ser promovida para redatora e enfim está trabalhando com o que mais gosta: a escrita. A mesma se sente realizada por poder expressar em palavras o que sente e mais, a cada novo artigo, um aprendizado diferente. A pequena Jane, que é como é chamada pelas amigas, apesar de se sentir segura com as palavras, ela se sente muito insegura quando o assunto é relacionamento, o desfecho abrupto do último lhe deixou tão marcada que ela achou melhor se fechar para não sofrer novamente. Pelo menos é o que acontece inicialmente, já que seu emprego acabará por lhe proporcionar novas experiências e amadurecimentos.

Kat é a diretora de mídias sociais e depois de algum tempo no mesmo cargo e resultados muito satisfatórios, ela não somente começa a ter mais responsabilidades, dentre elas o gerenciamento de funcionários, como também pouco a pouco começa a descobrir um novo lado com relação a sua sexualidade quando conhece uma artista muçulmana homossexual.

Sutton ao terminar a faculdade, faculdade esta não tão desejada, não consegue nenhuma vaga na sua área e por isso aceita o emprego como assistente. Apesar de ser formada em finanças, seu grande sonho é trabalhar com moda e depois de muita persistência, dedicação e horas afinco, enfim uma vaga surge, contudo nem tudo é perfeito e junto a oportunidade aparecem perguntas das quais ela precisará pensar muito e colocar na balança o que é mais importante no momento. No campo amoroso, a jovem ao contrário de suas amigas está comprometida, ou quase isso, já que ela acaba se envolvendo com Richard, um membro do conselho diretor e advogado da revista e como não são permitidos relacionamentos entre funcionários, os encontros entre os dois ocorrem sempre distantes da revista e o que quer que eles tenham é mantido sempre em segredo.

Três amigas com personalidades e atitudes bem distintas: Jane, Kat e Sutton
Uma cidade: Nova York
Um único objetivo: Realizar seus sonhos!

Em meio a publicações feministas, mulheres fortes, sororidade, sexualidade, assuntos tabus, moda, beleza, romance, drama, humor e a força de uma amizade verdadeira, as três amigas vivenciarão grandes oportunidades e perceberão que no fim o que importa é a união e a amizade, pois quando se tem as mesmas, até mesmo as situações mais difíceis se tornam fáceis de se resolver e enfrentar.

Falar que eu gostei da série é pouco, eu me apaixonei pelo enredo (revista + sororidade + trilha sonora perfeita), o ambiente (como não se apaixonar por Nova York, não é mesmo?!) e os personagens marcantes e inspiradores! Ao longo dos capítulos fui me identificando com cada uma das personagens, seja no campo amoroso, profissional e até mesmo algum traço da personalidade e o que mais admirei na série foi a união entre as mulheres, porque na maior parte das séries, cujo o enredo envolve uma revista de moda sempre há intrigas e hierarquia e nesta não vi essa divisão, pelo contrário! Além disso, não há como não mencionar o quão incrível é a forma com que os assuntos são tratados na revista. É admirável, arrisco a dizer que se tornou uma das minhas séries favoritas e a boa notícia é que a mesma foi renovada para a segunda e terceira temporada, o que representa muita ansiedade, novas histórias, sonhos e uma trilha sonora maravilhosa!

Trilha sonora:

Moda:
As personagens arrasam muito! São looks que envolvem desde peças despojadas até mais luxuosas, super vale anotar e salvar as imagens durante os episódios para inspirar novas combinações. Devo confessar que fui cativada fortemente pelas roupas da Sutton, ainda estou sonhando com a bota over the knee que ela utilizou em um episódio. A mesma é FABULOSA!

Ao finalizar a série me senti tão inspirada! É a série perfeita para quando se esta com a cabeça repleta de ideias, dúvidas e tudo que mais precisa é um empurrãozinho, sabe?! Penso que mais programas assim devem ser produzidos, programas que incentivam e mostram a importância da mulher, da amizade, a batalha pelos sonhos e o mais importante, a igualdade entre os gêneros.

Para finalizar, devo dizer que um dos pontos que mais me atraiu também foi com relação aos assuntos abordados. A questão da sexualidade de uma personagem é discutida de forma tão natural, que é como realmente deveria ser, mas que nem sempre é, infelizmente; a posição de líder, ao invés da chefe, uma mulher que comanda com palavras de motivação e que sabe quando deve dar aquele empurrãozinho e colocar seus funcionários fora da zona de conforto para que possam amadurecer e crescer profissionalmente; o preconceito que ainda existe entre religiões, etnias e sexualidades, o abuso contra as mulheres, que infelizmente ainda não é levado a sério, basta pensar na quantidade de mulheres que sofrem diariamente e nem sequer recebem o mínimo apoio, muitas são questionadas e julgadas e muitos outros assuntos que nos fazem refletir e acreditar que pouco a pouco o mundo está mudando e que se acreditarmos e agirmos, ele poderá se tornar bem melhor, principalmente para nós mulheres.

ASSISTAM! Realmente vale muito a pena!

Boa leitura, boa série, beijos!