Resenhas

[Resenha] Orlando: Uma Biografia – Virginia Woolf

02/12/2017

Olá, boa noite leitores!

A resenha de hoje envolve o livro Orlando: Uma Biografia, da Virginia Woolf. Há tempos que estava a procura de um livro da autora, mas ainda não sabia ao certo por qual começar e na minha última ida à biblioteca tive uma ajudinha da vida, ou quase isso, haha! Eu descobri este título ao acaso quando estava olhando os livros na prateleira e fiquei muito feliz em ter esbarrado no mesmo, penso que foi a “vida” me ajudando a escolher o primeiro livro da autora. Confesso que nem cheguei a olhar a sinopse, simplesmente separei e inclusive até pensei que a biografia fosse da Virginia, sim, estava completamente enganada.

Foi uma leitura extensa, decidi ler pausadamente para compreender da melhor forma o enredo e que experiência fascinante! Inicialmente fiquei um pouco perdida na história, tentando entender a premissa da mesma e aos poucos fui me “acostumando” com o estilo de escrita da autora e pude aproveitar.

Sinopse:

Orlando, um arremedo de biografia, descreve a vida do personagem homônimo, descendente de uma ancestral família aristocrática inglesa, que, no começo da narrativa, vive no século XVI, é homem e tem 16 anos. Acompanhamos sua vida por cerca de quatro séculos, na maior parte dos quais se mantém com a idade de 30 anos. No meio da narrativa, enviado pelo rei Charles II, como embaixador da Inglaterra, a Constantinopla, ele passa por uma transformação radical.

Além de homenagear Vita Sackville-West, a aristocrata que serviu de modelo para a figura de Orlando, e de jogar com as convenções da biografia tradicional, Virginia explora aqui alguns dos seus temas preferidos: a incongruência entre, de um lado, o tempo do relógio e do calendário e, de outro, o tempo vivido, subjetivo; o caráter fragmentado, múltiplo e incerto da subjetividade; e, sobretudo, a instabilidade e a artificialidade da identidade sexual.

Pensei muito se deveria ou não descrever um pouquinho da história como costumo fazer nas resenhas e decidi ao invés disso adicionar a sinopse que acaba contando um pouco do que o leitor encontrará sem os temidos spoilers, porque acredito que dependendo do que eu citasse aqui acabaria de certa forma atrapalhando a experiência geral. Eu li sem sequer saber da sinopse e fui surpreendida de uma maneira surreal, portanto acreditem em mim e leiam sem saber de mais detalhes, se entreguem a uma leitura “às cegas” e não vão se arrepender!

Não foi uma leitura tão fácil e penso que devido a isto que acabou se tornando tão especial! Mesmo depois de ter finalizado a história, ainda me flagro pensando nos acontecimentos e sinto vontade de reler, até mesmo comprar uma edição para chamar de minha (reservei esta na biblioteca) e ir enchendo de post-its nos trechos mais marcantes e fazer anotações. Sinto que a cada nova leitura que eu realizar aprenderei algo novo acerca da obra, algum detalhe que anteriormente deixei passar, porque é um livro denso repleto de pontos que inicialmente nos confundem e que nos faz pensar se realmente estamos entendendo e lendo corretamente, exemplos disso são o tempo (três séculos) e as questões de gênero que envolvem o personagem Orlando.

Como inicie a história sem saber ao certo o que encontraria fui muito surpreendida, tanto que li algumas resenhas posteriormente somente para ter a certeza de que não estava pulando algo e o mais curioso é que em certos momentos fiquei pensando na autora escrevendo o livro, pensando o que se passava na cabeça da mesma e quais foram suas reais intenções, porque há como chegar a inúmeras conclusões e ao mesmo tempo que isso incomoda, também envolve. Um ponto que acho importante mencionar é quanto a participação do biógrafo que durante todo o enredo participa ativamente detalhando e explicando fatos ao leitor.

Quando um livro começa a ser lido surge um elo entre o próprio e o leitor e acredito que especificamente nesta obra em que há a necessidade de se ler com muita atenção e até mesmo realizar algumas releituras de trechos para compreender acerca do enredo a conexão se torna muito intensa.

Além de ter sido um grande desafio para uma leitora que está acostumada a ler mais obras contemporâneas do que clássicas, também não deixou de ser uma experiência singular!

Quotes

Diagramação

Que edição mais linda! Como mencionei anteriormente, fui atraída primeiramente pela capa e como não ser, não é mesmo?! Além desta edição ser em capa dura, ainda possui belas ilustrações e é composta também por notas e um posfácio. Ahh, acredita que ainda possui um marcador de fitinha? Sério, é magnífica!

As folhas são amareladas e possuem uma gramatura maior, o que proporciona ao leitor uma agradável experiência literária. O único detalhe que me incomodou um pouco foi a cor da fonte utilizada na capa, ela acaba não se destacando tanto, o que é perceptível nas fotos, mas é apenas questão de gosto mesmo, hihi!

Ficou curioso? Leia uma amostra.

Se eu recomendo? Com certeza! Inclusive pretendo realizar uma releitura e quando a fizer atualizo esta resenha com minhas novas impressões!

Boa leitura, beijos!