Resenhas

[Resenha] A Espada do Verão – Rick Riordan (Série Magnus Chase e os Deuses de Asgard #1)

21/11/2017

Olá, bom dia leitores!

A resenha de hoje envolve o livro A Espada do Verão, o primeiro livro da série Magnus Chase e os Deuses de Asgard, de Rick Riordan. Já tive a oportunidade de ler mais dois livros do mesmo, livros estes da série Percy Jackson e os Olimpianos e só posso concluir que o autor sabe como cativar e surpreender, a cada nova leitura uma emocionante aventura!

Magnus Chase depois de perder sua mãe acaba tendo que passar seus dias morando na rua. Acostumado com a rotina de dormir no chão, encontrar suas refeições no lixo e ter amigos também moradores de rua, o garoto se surpreende quando é alertado por um dos amigos que há pessoas que estão a sua procura com folhetos. Ao investigar ele descobre que quem está por trás de tais folhetos são seus tios e sua prima, o que inicialmente é um tanto quanto estranho já que os mesmos até então não tinham se preocupado com o seu paradeiro.

Intrigado, Magnus decide invadir a casa de seu tio Randolph em busca de pistas, algo que explique a curiosidade do mesmo acerca de si e acaba esbarrando no próprio. Randolph começa a contar uma história estranha envolvendo os dezesseis anos, idade que coincidentemente Magnus está para completar, deuses, relato sobre a mãe e até mesmo o pai do garoto e uma espada  que o mesmo deve procurar. Apesar de parecer tudo muito insano, algo dentro de Magnus lhe diz que o que seu tio está falando é verdade.

Mesmo sem muita confiança, Magnus acaba acompanhando seu tio e depois de ir atrás da tal espada e lutar com um ser chamado Surt, o garoto morre ou é o que lhe contam quando ele vai parar no Hotel Valhala. Ao chegar ao hotel, Magnus conhece Samira al-abbas, uma menina que posteriormente ele fica sabendo que é uma valquíria e descobre que os amigos moradores de rua, amigos que estavam sempre ao seu redor, na verdade não são humanos e sim um anão e um elfo. Com o tempo, o garoto não somente precisa lidar com os últimos acontecimentos, como também se preparar para uma luta que garantirá o destino de muitas pessoas, inclusive o seu.

Foi uma experiência literária tão atraente e rica que durante a leitura ao mesmo tempo que você quer prosseguir para saber o que acontecerá no próximo capítulo, também quer desacelerar para não ficar “órfão” tão cedo, sabe?!

Os personagens são marcantes, os ambientes foram muito bem descritos e o enredo é envolvente! Magnus apesar de todo o sofrimento que passou com a perda da mãe e morando na rua durante dois anos, se mostra forte e durante toda a história se mantem próximo dos amigos e pensa no bem estar de todos, até mesmo da espada. Ah, como não falar desta espada, haha?! Sumarbrander ou Jacques como assim decide ser chamada é a tão famosa espada do verão, espada esta que foi abandonada pelo pai de Magnus e que possui um papel fundamental para a sobrevivência de todos, ela é muito presente e adivinhem? Ela fala. A valquíria Sam é notável! Suas decisões envolvem mais do que ordens e diferentemente do que os outros pensam, ela não se deixa envolver pela opinião de Loki, seu pai, pelo contrário é muito íntegra, fiel e segura de si. Gostei muito de Blitzen e Hearth, o anão e o elfo, eles são personagens tão amáveis que a cada momento que passavam por uma situação de risco eu ficava aflita pensando se o tio Rick teria a coragem ou não de matá-los. Ahh, antes que eu me esqueça, lembrei de um fato interessante: para os leitores que tiveram a oportunidade de ler o quinto livro da série Percy Jackson e os Olimpianos, neste a personagem Annabeth tem uma pequena participação, ela é prima do Magnus, acreditam?!

Bem, resumindo, fui me apaixonando a cada novo capítulo deste livro, a cada trecho e aventura que os personagens foram presenciando pude sentir a mesma emoção que senti ao ler O Hobbit, aquele calorzinho gostoso no coração e aquela viagem que te faz perder a noção do tempo e espaço.

Quotes

“— Mas… são mitos. Não são reais. Randolph olhou para mim como se estivesse com pena.
— Mitos nada mais são do que histórias sobre verdades que esquecemos.”

?

“Se pareço pouco impressionado ou ingrato, não me entendam mal. O jeito como tirei a espada do rio foi tão legal que pirei um pouco. Sempre quis um superpoder. Só não esperava que o meu envolveria tirar lixo do fundo do rio. Os voluntários do serviço comunitário adorariam.”

?

“Quando ouvi o nome Thor, pensei no cara dos filmes e dos quadrinhos, um grande super-herói do espaço sideral, com calça de lycra colorida, capa vermelha, cabelo louro e talvez um capacete com asinhas fofinhas. Na vida real, Thor era mais assustador. E mais vermelho. E mais desgrenhado. Além disso, xingava como um marinheiro bêbado e muito criativo.”

?

“— Mas Loki deixava a vida mais interessante. As pessoas ficaram com a ideia de que somos irmãos, o que não é verdade. Ele é irmão de sangue de Odin. Mas entendo como o boato começou. Eu odeio admitir, mas Loki e eu formávamos uma ótima equipe.”

Durante todo o enredo são citados vários e vários nomes e para ajudar ao leitor, ao final do livro há um glossário; uma página falando acerca do nome dos nove mundos e uma pequena apresentação com o nome das runas. Achei ótimo poder contar com o auxílio dos mesmos porque quando há muita informação eu gosto de ir anotando para não me perder e às vezes isso incomoda um pouco, porque tudo que se quer é ter uma leitura fluida sem muitas paradinhas, até porque sou a típica leitora que adora anotar desde o nome dos personagens, trechos marcantes e fatos que quero pesquisar posteriormente até pontos que penso que serão interessantes para a composição das fotos, haha!

Diagramação

Adorei a arte de capa, uma bela união entre o contraste das fortes cores e as fontes em alto relevo! A cada capítulo há uma pequena ilustração de um lobo que ao meu ver acrescenta um charme a mais, haha! Além disso as folhas são amareladas e as fontes utilizadas internamente possuem um tamanho bom, tamanho este que permite uma experiência literária agradável ao leitor.

Em A espada do Verão pude conhecer mais da mitologia nórdica e desmistificar a visão que tinha acerca da mesma, foi uma viagem incrível! Além da história, aventura e uma forte marcação com relação a importância da amizade, no livro ainda encontramos uma predominância humorística maravilhosa!

Se eu gostei? Sim! Recomendo? Com certeza! Já estou louca para ler a continuação, ainda mais sabendo mais ou menos sobre o que se trata, hihi! Ahh, seu Thor atrapalhado! ??

Para finalizar, gostaria de compartilhar dois achadinhos relacionados ao livro:

O primeiro envolve 9 fatos inusitados acerca do mesmo

9 fatos inusitados sobre Magnus Chase

E o segundo envolve uma playlist que encontrei no Spotify. Não tenho certeza se a pessoa que criou pensou no livro ou se a referência é outra, mas posso afirmar que achei a seleção interessante, passei alguns capítulos acompanhada da mesma e foi adorável (só faltou Taylor Swift mesmo, haha! Entendedores entenderão!)!

Boa leitura, beijos!