Resenhas

[Resenha] O Natal de Poirot – Agatha Christie (Especial de Natal #2)

20/12/2016

Oii, boa noite leitores!

A resenha de hoje envolve um livro da autora Agatha Christie. Sou apaixonada pela escrita e o modo com que a mesma nos envolve a cada capítulo, é impressionante como consegue sempre cativar. Fazia tempo que não lia nenhum livro dela e ao descobrir este título, não tive dúvidas que seria a oportunidade perfeita para matar a saudades 

natal

Sinopse:

Véspera de Natal. A reunião da família Lee é arruinada pelo barulho ensurdecedor de móveis sendo destroçados, seguido de um grito agudo e sofrido. No andar de cima, o tirânico Simeon Lee está morto, numa poça de sangue, com a garganta degolada. Mas quando Hercule Poirot, que está no vilarejo para passar o Natal com um amigo, se oferece para ajudar, depara-se com uma atmosfera não de luto, mas de suspeitas mútuas. Parece que todos tinham suas próprias razões para detestar o velho…

 

Stephen Farr e Pilar Estravados se conhecem durante a viagem de trem para Londres. Ela está viajando para se encontrar com Simeon Lee, seu avó, um homem que deixou de conversar com a filha depois que a mesma se casou sem o seu consentimento. A jovem se sente curiosa e nada amedrontada, seu sangue espanhol a protege de toda e qualquer insegurança.

Já Stephen Farr é um jovem rapaz britânico, que nasceu e morou por muito tempo na África do Sul, seu pai tinha negócios por lá, trabalhava com diamantes.

Simeon Lee vive com seu filho Alfred e sua nora Lydia, infelizmente o mesmo já não possui a mesma vivacidade que tinha anos anteriores e por isso possui um enfermeiro particular. O velho é extremamente rico e por toda a vida isso foi motivo de glória e brigas, glória devido a vida regada de mulheres, bebidas, festas e afins e brigas, pois colecionou inimigos, rixas e era mal visto na família por trair a frágil mulher.

Por adorar alimentar situações de discórdia decide reunir toda a família para o Natal, incluindo todos os filhos, noras e a neta.

David é casado com Hilda e nutre um grande ódio pelo pai devido a traição do mesmo para com sua mãe e por isso se surpreende com o convite e a princípio não concorda, porém, sua mulher o aconselha a aceitar, seria uma oportunidade para fazerem as pazes.

George é casado com Magdalene, ele é um membro do Parlamento, representante de Westeringham. Conhecido por todos devido a seu comportamento avarento, aceita rapidamente o convite para cear com o pai, seria uma oportunidade para economizar, já que considera o Natal uma época dispendiosa. Importante ressaltar que o mesmo recebe uma mesada bem significativa do pai.

Harry é o filho problema, o mesmo saiu percorrendo o mundo, gastando dinheiro, jogando e sempre que se metia em encrenca recorria ao pai. Devido a isto, não é bem visto pelo irmão Alfred.

Por último e não menos importante, temos Pilar que é filha de Jennifer, que apesar de ter sido renegada pelo pai, o mesmo se sente curioso a respeito da neta.

Diante de uma casa repleta de convidados, algumas intrigas e muitos questionamentos, ocorre um assassinato. Enquanto todos os familiares estão reunidos no piso inferior da casa, barulho de móveis e louças se quebrando são ouvidos e junto a isso, um grito angustiante. Sem delongas, todos sobem para o piso superior rumo ao quarto de Simeon e infelizmente descobrem o corpo do mesmo todo ensanguentado.

A partir deste momento, todos se tornam suspeitos e para que o crime seja solucionado temos o auxílio do tão conhecido Hercule Poirot. O detetive está hospedado na casa de um colega quando o mesmo é chamado e por saber que seu convidado é um excelente solucionador de crimes o convida. Poirot aceita, mas com a condição de que acompanhará apenas como um consultor não oficial.

Wow! Eu sempre me surpreendo com as histórias da Agatha, sou apaixonada pelos filmes, séries e livros, a cada nova obra, uma sensação diferente. Estou escrevendo esta resenha de forma tão fluida, é como se ela estivesse ao meu lado ajudando sabe, calma, não fiquem assustados, é de uma maneira boa, hihi.

A história é dividida em 7 partes, a cada parte, uma data, achei isto fantástico, acrescenta uma emoção a mais. Logo no início da obra, ela faz uma dedicatória para o cunhado tão afetuosa, senti uma leve invejinha, haha:

Meu Querido James

Você sempre foi um dos meus leitores mais fieis e bondosos e, por isso mesmo, fiquei seriamente perturbada ao receber seu comentário crítico.
Queixou-se de que meus assassinatos estariam ficando refinados demais – na verdade, anêmicos. Demonstrou, também, o desejo de “um assassinato dos bons, violento e cheio de sangue”. Um assassinato em que não houvesse dúvida de ser assassinato!
Pois esta aí a história que escrevi especialmente para você. Espero que lhe agrade.
Com todo o carinho, de sua cunhada.

Eu confesso que cheguei a desconfiar do assassino, pela primeira vez fui anotando nomes e fatos que achava importante no decorrer da leitura, o que tornou a experiência muito mais emocionante e completa, mas nossa querida autora mesmo assim me surpreendeu ao explicar como o respectivo realizou tal façanha.

Recomendo a leitora a todos, é uma história rápida, fluida e muito envolvente!

Boa leitura, beijos!